Você conhece todos os tamanhos de garrafas de vinho?

Entenda se o tamanho realmente influencia:

 

Como descrito no post sobre o misterioso fundo das garrafas de vinho, falamos sobre a descoberta da técnica do sopro, em que a produção de copos, potes e garrafas começaram.

Com o passar do tempo as garrafas se tornaram mais do que objetos de armazenamento, mas objetos de desejo, e seu tamanho influencia diretamente nessa percepção.

Vamos agora conhecer os tamanhos mais famosos, partindo do menor para o maior:

14 - 1

 

  • Meia-garrafa– 375ml
  • Garrafa– 750ml
  • Magnum– 1,5L (equivalente a 2 garrafas padrão)
  • Double Magnum – 3,0L (equivalente a 4 garrafas, apenas Bordeaux)
  • Jeroboam – 3 a 4,5L (4 garrafas – Champagne e Borgonha, 6 garrafas – Bordeaux)
  • Rehoboam– 4,5L (6 garrafas – Champagne e Borgonha)
  • Matusalem ou Imperial– 6,0L (8 garrafas, Champagne e Borgonha)
  • Salmanazar– 9,0L (12 garrafas, Champagne e Borgonha)
  • Balthazar – 12,0L (16 garrafas)

Ainda existem garrafas de tamanhos maiores, que esbanjam impacto e status, porém pouco comercializadas:

  • Nabucodosor –12,0L a 15,0L (16 a 20 garrafas, dependendo do país de origem)
  • Melchior – 18,0L (24 garrafas)
  • Solomon – 20,0L (28 garrafas, apenas Champagne)
  • Soberano ou Sovereign – 25,L (33,3 garrafas, apenas Champagne)
  • Maximus – 130,0L (173,3 garrafas – no formato Bordeaux)

Até que ponto o tamanho da garrafa influencia no vinho?

Bons vinhos, quando bem armazenados, podem evoluir muito bem na garrafa com o passar do tempo. Os principais fatores que influenciam em sua evolução é realmente o tamanho da garrafa que o acondiciona, bem como a quantidade de oxigênio que fica entre a rolha e o líquido.

Em uma garrafa pequena, a proporção entre a quantidade de oxigênio e a quantidade do vinho é maior, desta forma o vinho tende a evoluir com maior rapidez. Já nas garrafas de maior volume, a proporção do oxigênio perante ao vinho, como em uma garrafa de Balthazar de 12 litros, por exemplo, é bem menor. O vinho ali acondicionado levará muito mais tempo para evoluir e assim sucessivamente.

Não é a toa que garrafas Magnun são mais procuradas em leilões, pois a chance do vinho ter evoluído é muito menor, e o seu preço, claro, mais valorizado.

É importante destacar também que normalmente os vinhos armazenados em garrafas maiores envelhecem mais lentamente por causa da menor proporção de ar em relação ao volume de vinho. Como temos muito vinho em contato com pouco oxigênio, o envelhecimento é bem mais lento. Por esse motivo, as garrafas magnum ou maiores são muito procuradas em leilões, e claro, mais valiosas.

Portanto, tamanho é sim documento! :)

Lembre-se, independente do tamanho, o armazenamento é fundamental.

 

Leave a Reply