Humm a Malbec.

A uva/casta mais famosa da Argentina, por incrível que pareça é uma uva francesa, sendo a principal variedade da região de Cahors. Lá ela é chamada de “Cot” ou “Auxerrois”, e encontrou na Argentina condições excelentes para se desenvolver.

A Malbec é uma uva tinta de casca muito grossa para poder resistir à altas temperaturas como por exemplo as de Mendoza (deserto).

A cada dia que passa a Argentina elabora grandes vinhos com essa incrível e saborosa uva, seus vinhos tem recebido altas pontuações  pelos grandes críticos mundiais como a Wine Advocate, de Robert Parker, e a Wine Spectator, ficando entre os TOP da lista.

Como qualquer outra uva, a Malbec se desenvolve de forma distinta de país para país onde é cultivada, entenda melhor:

Na Argentina, as principais áreas produtoras são Mendonza, Salta, San Juan e Patagônia, estes vários Terroirs trazem estilos diferentes. Em Mendoza, os vinhos saem mais estruturados, com sabor bem vivo e seus taninos mais maduros. Salta e San Juan os vinhos saem com bom corpo, porém menos estruturados que os de Mendoza/mendoncinos. Patagônea origina vinhos moderados de corpo, aromas mais condimentados, notas florais. embora o aroma de fruta madura seja mais pronunciado.

Na região Francesa de Cahors é denominada Cot. Os vinhos são encorpados e densos, com amadurecimento obrigatório em madeira. Com bom potencial de envelhecimento, podem evoluir por mais de 15 anos em garrafa. Lembrando que tudo depende da qualidade do produtor.

No Chile, mesmo muitos acreditando não haver o cultivo da uva, os vinhos saem mais encorpados, ácidos e tânicos que os argentinos. Geralmente eles vêm em cortes acompanhados da Cabernet Sauvignon, Carménère ou Syrah.

Os aromas mais presentes desta uva/casta são os de frutas vermelhas maduras com violeta. Se passar por madeira, estas notas se tornam mais intensas. Para quem gosta de uma boa carne, é a perfeita combinação, e o que me vem à mente é um belo de um churrasco!

Leave a Reply